RELACIONAMENTO 20 de outubro de 2015

9 diferenças, semelhanças e mitos entre brasileiras e gringas

0f39e8bbd7a7f3a350b2fbfee83b382c

Na minha andança pelo mundo e no meu regresso ao Brasil, uma pergunta muito comum que homens e mulheres (menos minha mãe) fazem é a respeito da diferença entre a mulher brasileira e as gringas.

Há uma tendência à valorização da mulher brasileira lá fora por conta do carnaval e samba. Isso faz com que muitas características das brazucas sejam superestimadas e outras subvalorizadas. Resolvi listar algumas.

Cabe fazer a velha ressalva, que como toda generalização as exceções ficam de fora, sejam pelas brasileiras como pelas gringas, mas o objetivo é falar pela média mesmo.

Vamos lá:

Unhas – Brasileiras são FANÁTICAS por unhas. Não é a toa que há salões em quase toda esquina por aqui e nomes dos mais bizarros para cor de esmalte. Além disso, o serviço é muito mais barato e de qualidade que lá fora. Nesse aspecto as gringas perdem feio. “Cutícula” talvez seja uma palavra que ao lado de “saudade” só exista no português, é normal ver um monte de pele amontoada no dedo delas. “Acetona” talvez seja algo que as gringas só aprendam na aula de Química, unhas com restos de esmalte parece moda entre elas;

Já comentei certa vez em um post antigo do blog, homens não prestam tanta atenção assim em cores de esmalte, mas uma mão parecida com a do instrutor da minha academia não é legal;

Carinho – Isso foi o que mais senti falta lá fora. Cafuné na nuca, carinho na mão, beijos despretensiosos no pescoço e demais demonstrações de afeto são incomuns em regiões fora da América do sul / Península Ibérica;

Amor intenso e expresso – As brasileiras amam com mais intensidade e apaixonam-se com mais facilidade. Vejo isso quase todos os dias nas histórias que recebo da Sexta das leitoras e pessoalmente (claro), em que várias mulheres se apaixonam sem mal conhecer o cara, ou pior, por homens com tantos defeitos que eu queimo o cérebro tentando achar as qualidades pelas quais elas se sentiram atraídas. Só que esse amor muitas vezes dura uma estação, logo aparece outro cara e o ciclo novelesco se repete;

Roupas – Em quase todos os países há aquele grupo de mulher que acredita que quanto menos roupa e mais grudada, mais sexy e estilosa ela pensa que é, quando apenas está sendo vulgar e reles. Excetuando-se essas, lá fora as mulheres tendem a vestir-se com mais estilo que aqui;

Depilação – A depilação brasileira ganhou o mundo, em quase todo salão melhorzinho lá fora há o “brazilian wax” (Depilação brasileira). Com exceções das desleixadas, as gringas sabem se depilar e costumam tirar tudo.

É um mito dizer que europeia é peluda. As vezes acontece da perna não estar em dia, e a explicação delas é que em regiões frias poucas mulheres andam com perna de fora, logo a depilação não entra na rotina. O que me faz lembrar-me do sujeito que não apara os pelos pubianos, pois não tem transado com ninguém. Ai o dia que acontece uma eventualidade, o cara tá com uma moita no pau, e no caso a mulher com perna de caranguejo;

Objetividade – Entender o que se passa na cabeça das brasileiras (e brasileiros) é uma tarefa árdua. Para não magoarmos as pessoas, tendemos a florear as palavras, dar voltas para dizer “não”, usamos muito “talvez” e por ai vai. Lá fora muitas vezes fiquei impressionado com a objetividade e frieza com que elas diziam na minha cara se não gostavam de algo ou quando no primeiro encontro questionavam se eu não queria ir pra casa delas;

Cama – Talvez esse seja o maior mito, que a mulher brasileira é mais fogosa do mundo. A pessoa se soltar na cama não está tão relacionado com nacionalidade (com exceção das asiáticas), mas mais com uma questão pessoal.

Na minha opinião, o mais difícil para que o sexo com uma gringa seja agradável é a barreira linguística. Por mais que você seja fluente em inglês, soa muito estranho traduzir uma palavra que vem lá de dentro, quase instintiva e animal. Nada como soltar um “gostosa” de boca cheia ao invés de um “you are so hot” cheio de cuidados com a pronúncia. A melhor coisa é evitar palavras e ficar só no “hum hum hum”;

Beijo – O beijo brasileiro é anos-luz melhor que lá fora. Nisso somos especialistas, pois criança aqui dá selinho na mãe, um estranho beija três vezes na bochecha para cumprimentar alguém do sexo oposto numa reunião, beija dez bocas numa noite de carnaval, temos até um doce chamado beijinho, pera, uva, maça e salada mista estão longe de serem meras frutas. É uma beijolouquice.

Em muitos países o beijo em público não é bem visto, então talvez falte um pouco de prática e desinibição para as gringas. Por outro lado, em especial as americanas, adoram dançar rebolando o traseiro no pau dos caras no meio da pista, mas raramente beijam. Vai entender.

Biquini – É a melhor forma de reconhecer uma brasileira na praia lá fora (isso quando ela não está usando uma canga da bandeira nacional ou do senhor do Bonfim). Não apenas por questão do tamanho, mas do design em si. O biquíni brasileiro é estiloso e bonito, o gringo normalmente obedece dois principais estilos: uma estampa infantil/brega no corpo de uma jovem ou um modelo de terceira idade no corpo de uma jovem. As vezes é possível encontrar as duas combinações juntas, o modelo de vó com estampa de criança. É um horror.

Nesse quesito eu tenho telhado de vidro. Não que eu use biquínis, mas por ter sido criado praticamente na praia, uso sunga e lá fora o traje é motivo de piada.

  • Ágata Gentil

    Hahahahaha, nossa, essa do biquíni é fato!
    Não tive vontade nenhuma de comprar um biquíni fora do brasil. A calcinha parece uma fralda.

    • J Lambisgoide

      KKKKKKKKKKKKKKKKKKKK…

  • Camila ( carioca)

    Adorei o “modelo de vó com estampa de criança”…hahahaha! Legal o post, mas vc poderia ter se aprofundado um pouco mais. Como são os relacionamentos lá fora? Como é a conquista? O que as gringas acham dos brasileiros? Tem mto pano pramanga ainda aí! rs
    Bjão, Cafa!

    • cafa

      Ah sim, mas não tive relacionamentos sérios pra fazer um post mais aprofundado. Porém, concordo que dápra fazer outro post. 😉

  • Simone do Valle

    As gringas são mais estilosas que as brasileiras na Europa né? Porque nos Estados Unidos pelo amor de Deus! Com exceção talvez de Nova Iorque, onde as mulheres se vestem melhor, no restante é um desfile de breguice. Sem falar nos cabelos tão cheios de laquê que mal se mexem e na maquiagem tão carregada que o cílio quase bate na testa. Os mega decotes com os peitos caídos então eu nem comento…

    • http://www.andandoporaii.blogspot.com Marcela

      kkkkkkkkk morri

  • cafa

    O drama entra na categoria intensidade. Culpa das novelas isso. :p

  • Rubia

    hahaha morri de rir com o “ficar no hum hum “

  • Rafaela Gil

    Moro em Miami e concordo com TUDO!
    exceto com o fato delas se vestirem melhor (ao menos aqui em Miami) sei que em algumas regioes isso pode ate ser verdade, no norte e tal… Pq aqui em Miami…rsrs… Aqui fico impressionada como elas se vestem, as vezes eh ate mais vulgar que vejo no Brasil (ao menos em SP). O que sempre vejo tambem eh na balada por aqui elas se sao muuuuito mais “fogosas” que nos brasileiras… Eh comum ver uma mulher se esfregando em um homem, e nao importa o tipo de festa, e as vezes nem rola nada com o cara.
    Alias, isso eh MUITO comum. Talvez so no Brasil vc sai com alguem com segundas intencoes… Aqui vc pode perfeitamente ter um date e nao beijar, ou se interessar pela pessoa.
    Sao muitas diferencas… O fato eh que depende da pessoa que veio pra ca tambem… Eu que moro aqui sinto MUITA falta das pessoas no geral dai (familia, amigos, namorado, rolos enfim), entao qnd aparece alguem ficamos dependente da pessoa. Muitas vezes por carencia, solidao… Eh diferente de quem vem curti uma ferias. So quem ficou um tempo sente essa falta de afeto que vc disse.

    • Caroline

      Oi Rafaela você tem Facebook?

      • Rafaela Gil

        Tenho sim! Me add se quiser rafaela.jcgil

  • Anarita

    Mais um ótimo texto cafito!!
    Apenas uma ressalva, nesse verão viajei em alguns países da Europa e fquei impressionada com as roupas de muitas mulheres, vestidos e shorts bemmm curtos, super apertados e nunca vi tantos cropped. As francesas se diferenciavam um pouco, a elegancia parece ser norma lá. Cheguei a comprar um vestido em Londres, mas que ao chegar aqui não consegui vestir de tão curto, e trouxe shorts para minhas amigas que declararam que iriam customizar com renda e bordado para poder aumentar um pouco de tão curtos kkkkk e olha que na lógica praieira e quente de João Pessoa-PB roupas curtas e justas são bem aceitas.
    Bj Cafa!

    • Silvia

      Quando fui em Londres me assustei, ao ver a mulherada de vestido curtíssimo e usando no inverno. Kkkkkkkkk

  • Nai

    Imagino que muitos pontos se apliquem também aos gringos (homens) e nossa, eu iria sofrer! Pq adoro beijar, acho super sexy… Importantíssimo como preliminar, incluindo aqui os beijos no pescoço e carinhos na nuca e cabelo.

  • Priscila Maria

    Bom pela minha experiência com os ‘gringos’ que eu ja saí não vi muito dessa ‘frieza’.
    Há uns dois anos eu ainda morava em sampa e conheci o Mike, ele é alemão e no nosso primeiro encontro ele não me deixava tocar muito nele, depois de um tempo percebi que era por que aquilo o excitava, como um simples toque no braço poderia fazer isso com alguém?! Achei super interessante e claro me aproveitei da oportunidade pra provocar. Não deu outra fomos pra cama e foi tudo muito gostoso e intenso. Pra nós mulheres da pra sentir a diferença de tratamento entre um gringo e um brasileiro são dois opostos, maaas nada se compara aquele olhar safado e cheio de intenções que só o Brasileiro tem!

    • Rejane Oliveira

      Engraçado como as pessoas são diferentes. Odeio esse olhar safado dos brasileiros. Adoraria um homem um pouco mais “inocente”

  • Claudia Gm

    Bem legal o post..e muito util. Sempre me incomodou ver uns idiotas da tv Brasileira perguntando para artistas gringos o que eles acham das mulheres brasileiras ou ver umas brasileiras aqui no exterior comportando-se vulgarmente usando a bandeira nacional como uma tag “vem-no-mim-que-sou-a-melhor-do-mundo”. Brasileiras são bem vistas pois nascemos num pais considerado super cool por conta do carnaval, das festas, de Pele, Ronaldo, Airton Senna, Anderson Silva dentre outros ídolos do universo masculino.
    Trabalho numa editora e semana passada me deparei com um nome conhecido: Nelson Piquet. Dei uma risadinha e um colega perguntou o pq. Falei que tinha visto um nome que não via a muito tempo e perguntei se ele sabia quem era Nelson Piquet. A resposta dele foi “Obvio! Ele eh awesome!” Me perguntei se a maioria dos brasileiros teriam a mesma opinião que ele.
    Mulheres brasileiras são afetuosas, charmosas, apegadas a familia e essas são qualidades excelentes. Mas também imaturas e muito competitivas entre si, o que eh super chato. Claro que não da para rotular todas as brasileiras, obvio.

  • Ana

    Resumidamente, as brasileiras são mais submissas. Pena.

  • http://www.andandoporaii.blogspot.com Marcela

    Isso do beijo é verdade… Elogiam muito meu beijo aqui fora. Mas não curto beijar no ponto de ônibus alguém que acabei de conhecer não. Acho que um pouco de discrição e profundidade fazem bem! No Brasil os homens têm choque cultural comigo porque aparentemente eu sou a única que não beija tão facilmente. Ganhar um beijo banalizou…

    Querido você deveria falar suas putarias em português, é muito sexy ouvir elogios em outra língua e é a melhor maneira de aprender um idioma :) Fica a dica!

    Sobre a depilação das pernas… O senhor é exigente, né? Será que tudo em você está em dia? Kkkk