RELACIONAMENTO 8 de novembro de 2017

Dia das leitoras – Fantasma do passado

2ba96c30b0b24f7d2b72142a9b0896b8

“Bem, eu tinha 20 anos, trabalhava em uma dessas empresas multinacionais, em que há “peões” sabe? Cafas era o que não faltava e eu me apaixonei por um deles.

Cafa > Um pouco limitada essa associação peões e cafas. Talvez com um olhar um pouco mais abrangente sobre homens, você não teria cometido tanta besteira como relatado na sua história.

 Na época eu ainda estava na faculdade e ele? Ah! Ele era o “homem dos meus sonhos” pensava eu! E um belo dia ele pede meu telefone e eu dei de pronto, naquela época eu fazia o que queria!

Cafa > Naquela época você fazia o que queria e hoje você faz o que não quer? Duh. Tome cuidado com esses encurtamentos de raciocínio, não ajudam em nada a compreender homens/relacionamentos.

 E ai ele me ligou e nós combinamos de nos encontrar pela primeira vez e foi mágico, dentro do ônibus, ele me beijou ali mesmo e fomos tomados de uma paixão avassaladora! O beijo foi ao som do Ira!

Cafa > 😐 😐 😐 😐

 Mas de repente no meio da conversa ele diz: “Sou casado”, nunca tinha me acontecido e ai eu me desesperei, chorei e terminei ou pensava que tinha terminado! Ele me cercava e todos os jeitos, afinal a gente trabalhava no mesmo lugar! Até que, depois de um tempo resistindo eu cedi!

E começamos a sair, eu realmente estava completamente apaixonada por ele e faria qualquer coisa por ele e fiquei com ele consciente de que era casado, sabia o que estava fazendo, mas como todo jovem o mundo era um só e minha vida era uma só e eu queria viver com ele, bem, comecei a faltar as aulas pra sair com ele, perdi em matérias, varias delas, minha mae pagava faculdade particular, mas tudo que eu queria era estar com esse amor louco e bandido!

Cafa > Sabe, já recebi muitas histórias como a sua, de mulheres que colocam o homem (tosco) no centro do universo e tudo passa a girar em torno dele. Geralmente, essas mulheres possuem uma ausência de afetividade imensa na família e/ou são nem-nem (nem trabalham, nem estudam) e buscam preencher o vazio das suas vidas com um homem. Pelo que contou, você não é uma desocupada, mas acho que tem algo mal resolvido na sua relação familiar que você deveria investigar.

Mas a gente só saía pra motel, vários deles, ate que um dia ele some, sem deixar rastros, nem trabalho, nem em lugar nenhum ele estava! No outro dia ele aparece e eu perguntei onde estava e ele sem medo me disse: ” estava preso”, eu fiquei chocada, mas ele me explicou tudo e isso não era nada demais!

Cafa > Ufa! Que bom não era nada demais. ¬¬´

 Estar encarcerado agora virou uma justificativa trivial, um contratempo.  

 E então, ele deixou de esconder as coisas de mim e eu me apaixonando ainda mais! Teve até um dia que estávamos no motel e ele fumando maconha na minha frente, isso me marcou e os dias, meses, anos se passando e eu comecei a subir o morro pra ir na casa da mae dele pra encontrar com ele escondido da minha mae e achava um máximo as pessoas chamarem ele de “rei”, eu era a rainha dele! Ali naquele momento! E ele me exibia para todos os amigos e eu la me expondo pra todos e ele me levando na casa de um a um dos ” amigos ” dele e dizia: ” essa é minha mina”. Era um máximo.

Cafa > Essa história parece um filme nacional ruim que a patricinha sobe o morro pra se deitar com o traficante.

Entendo que a paixão as vezes não considera classe, estudo, e tal. Mas porra, antes de qualquer coisa tem o amor próprio e perspectiva futura. Tudo bem que aos 20 anos mal sabemos o que é um relacionamento que preste, mas um parceiro casado, viciado e com passagem na polícia dificilmente vai sair coisa boa desse buraco.

 Eu estava apaixonada, ate que outro dia ele some por varios dias e depois me liga com a voz embargada e me disse que precisava de mim e eu fui correndo todos os riscos e fui atras, ele estava no inferno e eu fui la, precisava vê o estado da pessoa de drogado que estava e eu la, cuidando dele com amor e sexo. Ja dizia Drummond ” o amor é um estado de graça “, mas tambem é um estado de euforia, de loucura, de sufocos!

Cafa > Drummond deve se remoer na tumba com essa citação em um “relacionamento” que o amor é uma via de mão única.

Mas nessa parte da historia abro um parêntese para dizer que quem me arrumou esse emprego nessa empresa,foi a namoradinha do meu irmão, que queria se fortalecer na família e queria ” comprar” minha mae!

Cafa > Parece que esse texto foi escrito do além, quando você tinha 20 anos. É um pot-pourri de malcriação, ciúme e juízo de valor…. Se você não gosta da sua cunhada, seria mais digno recusar a oferta a aceitar e ficar de picuinha. 

 Como eu nao suportava ela, ela entao me ofereceu como ” oferta de paz” esse emprego lá, que eu iria ganhar mais que meu emprego antigo e ela seria minha chefe e chefe desse cara que eu namorava e que ela também deu emprego a ele.

Cafa > Mas que solução absurda. A pessoa não suporta a outra e então oferece um emprego para que seu desafeto seja o seu subordinado. Não faz muito sentido, tem algo mal contado. Ainda mais considerando que ela empregou o “peão” também.

Mas numa bela noite ela descobre pela ” radio peão” que eu estava saindo com homem casado! E o que ela faz? Chama ele e diz: ou vc me diz a verdade ou vc perde o emprego e a vida nova que te dei ! E o que ele faz ? Me entrega! E conta coisas que nem verdade era, disse que eu estava atrás dele, que ele nao queria e que ja tinha dito a mim que era casado e mesmo assim eu insisti e contou tudo que a gente fazia no motel, as roupas que eu usava na cama com ele, tudo!

Resultado: Meu mundo caiu, por que ela me dedurou pra meu irmão e ai toda minha família ficou sabendo o que a caçula fazia no motel com homem casado, minha mae parou de falar comigo, fui cortada de tudo pela minha família!

Cafa > Cara, de filme brasileiro ruim foi para novela mexicana surrealista. Nada faz sentido aqui. Sua cunhada contratando os dois, a intimação para o cara contar detalhes da vida pessoal para o chefe, ele fofoqueiro se fazendo de vítima… Pelo menos sua família agiu enquanto era tempo.

Hoje, sou empresária, tenho com 35 anos, e ele reaparece, se consertou na vida ! Está fazendo faculdade, tem uma pequena empresa, me liga e pede pra me encontrar e eu fui!

Só que tanto eu quanto ele fomos nos ver em busca daquele passado, mas tudo mudou, tudo ta diferente, a gente tenta o sexo, mas eu ja não sou aquela menina aventureira que transava no ônibus, dentro do carro na rua escura ou atras de um muro

Cafa > Normal. A vida é uma evolução (ao menos no meu ponto de vista), os anos passam e começamos a valorizar e gostar de outras coisas. Por que transar no carro se agora temos o conforto da nossa própria casa? Por que dar atrás do muro se você pode alugar um barco e dar em alto-mar com o céu estrelado na sua cabeça?

e não quis transar sem camisinha, ele abre a boca e diz: o que começa errado não tem como dar certo e diz mais: A culpa de tudo que aconteceu foi sua, se vc não tivesse faltado aula ninguém tinha descoberto nada! E naquele momento eu pensei que ele nao tinha mudado, que caráter ja vem com a pessoa e eu chorei pq depois de todos esses anos a paixao estava ali adormecida, mas estava ali pelo amor bandido, era ele, mas nao era mais ele! Se me fiz entender!

Cafa > Na verdade ele sempre foi o mesmo, você quem mudou.

Ele jogou sujo fazendo essa chantagem juvenil pra não usar camisinha e trazendo fatos irrelevantes do passado pra fazer você se sentir culpada. Um jogo psicológico que mostra bem o caráter do cara.

E minha historia acaba aqui! Ele nao me procurou mais e nem eu a ele! Queria sim casar com ele e ter meus filhos com ele, mas Deus ou as circunstâncias nao quiseram ou destino, sei la, mas ele sempre me diz que ele nunca vai me fazer feliz, que ele nao é homem pra mim, que ele sempre vai me fazer infeliz! Mas eu sou loucamente apaixonada, mas nada será como antes”.

Cafa > Depois da amostra do que esse homem é, você ainda o imagina como pai dos seus filhos? Você oscila conclusões maduras com uma imaturidade de adolescente boboca.

Olha, há relacionamentos que mexem com a gente devido a intensidade com que gostamos da pessoa, o sexo que era perfeito e a sensação de coisa errada (que atrai um montão de mulher nova com carência afetiva), mas muitas vezes eles pertencem ao passado.

Deixa esse cara com uma “boa” lembrança dos seus vinte anos e busque algo que tenha a ver com o que você é hoje.

________________________________________________________________________________________

Quer mandar a sua história para que eu (talvez) comente e publique? É só enviar para cafa@manualdocafajeste.com; Caso queira manter o sigilo e ter certeza que sua história será comentada contrate o Cafa Responde (máx de 2 páginas / arial 12).

  • Marília

    Eu tenho uma carência emocional absurda, que vem desde a minha primeira infância. Quando comecei a entender as coisas da vida já presenciava um casamento ruim e imaturidade dos meus pais, principalmente do meu pai. Hoje então, eu com 30 anos, meus pais conseguem ser piores do que quando eu era criança. Isso me trouxe péssimas consequências na vida. Uma vida de anulação total, de histórico de abuso sexual de amigo e de colega de trabalho. De não saber dizer não para os caras e de viver coisas que no fundo eu sei que não me trarão nada de bom. Nunca cheguei a extremos assim, pois talvez a minha configuração familiar nunca tenha me feito a amar loucamente alguém, o medo sempre fez parte de mim, mas eu sei exatamente que esse padrão de relação é doentio. E ele realmente não é homem pra ela e posso até dizer que isso não é amor, é apenas projeção de algo que faltou na vida dela. Mas que ela pode encontrar muito fácil, porque está nela mesma. Bela análise, cafa, beijos.

  • Laís de Gênova Claudino

    Eu não sei se rio ou choro com essa história. Que história mais sem pé nem cabeça. Essa moça precisa de ajuda psicológica urgente rs

  • Mariana Cobra

    Ela escreveu a pergunta quando tinha 20 anos e mandou só agora ou é uma mulher de 35 anos com cabeça de 20?
    Fiquei confusa kkkkkkkkkkkkkkkkk

  • Rubia Rocha

    O problema da paixão é que a gente só enxerga o que quer… O cara não enganava ela, pelo visto sempre deixou claro que não prestava. E mesmo assim depois de 15 anos a pessoa vai cair no msm buraco… Realmente vejo uma carência mto grande nessa mulher.

  • Elaine

    Ah Cafa, adorei suas duras! Você pegou no ponto! Realmente eu sugeriria uma terapia pois se apaixonar é uma coisa mas permanecer no erro apaixonada é outra. Mulheres valorizem-se urgente pois os homens fazem isso há séculos.

  • Sagitariana

    Cafa,
    Que história hein?!!
    Eu fiquei pasma, ano que nem sabia o que comentar, sabe, quando uma relação em como predomina a paixão, a coisa de pele e não a admiração pelo ser humano, pela essência, dificilmente dá certo, afinal, química é uma coisa fácil de se encontrar, relativamente.
    Ela mesma já sabe que ele não é pra ela. Ele já mostrou a que veio, foi uma péssima influência, fez com que a vida dela desandasse um bocado, apesar das escolhas terem sido dela, afinal, ela seguiu com ele porque quis.
    Poderia afirmar que quando uma relação não nos faz bem, não é amor, é dependência emocional. Sofrimento vicia.
    bjs Cafa

  • Sagitariana

    Cafa,
    Esqueci de comentar outras duas coisas:
    Muita gente no Youtube está usando um nome parecido com o seu, tipo, Santo Cafa, mulher cafa, etc. Eles não tem metade da qualidade do blog, Aqui é muito melhor.
    Segundo, voltando a história da leitora, ela teve sorte da mulher dele não ter implicado com ela e matado, nos dias de hoje que tudo está tão perigoso.
    Parabéns pela escolha da história.
    Bjs

    • http://www.manualdocafajeste.com cafa

      São filhos de uma geração..hehehe. Se eu tivesse mais desenvoltura, até faria uns vídeos, mas hoje tenderiam ao cômico/tosco

  • Kelly

    As vezes a gente acha que nossa vida esta ruim e lê uma história dessas, dá um misto de alivio, por saber que existe pessoas em pior situação e tristeza por tamanha falta de amor próprio.

  • RAYANNE ANDRADE DE SOUZA DANIE

    Pela primeira vez eu ri aqui no blog. Não podemos julgar ninguém, mas essa mulher me parece louca, fazendo relatos assim aos 35 anos. Ela, com mais maturidade, devia perceber que não tinha nem que ter dado uma segunda chance a esse homem. Que relacionamento abusivo, meu Deus! Chocada. Uma hora parece que ela amadureceu, outra ela estraga tudo. Nós temos sentimentos SIM, mas a razão deve falar mais alto em casos como esse. Ah nem, preguiça desse relato.

  • Tai

    Esse texto foi um mix de vergonha alheia com comoção pela situação.
    Quanto a se envolver com um cara casado, que já é errado não só pelo óbvio da situação, visualizo também o medo do envolvimento profundo. Ela só queria ficar na superfície.
    Em relação a cunhada, uma coitada que arrumou emprego pra ela, que provavelmente por amor ao irmão da leitora, quis ajudar a mais descabeçada da família. Aí essa hipócrita além de aceitar ainda fala mal do favor que lhe fizeram.
    E passam 15 anos e ela decora lindas frases sobre amor próprio, sucesso e superação, mas não consegue interpretar nenhuma.
    Como todos já deixaram subentendido, ela realmente não sabe quem ela é, o que ela quer pra vida dela (não estou nem falando de homens) e do que ela é capaz. Se um dia realmente quiser crescer e se libertar, ser feliz de verdade, talvez ela precise olhar mais pra dentro dela.
    Quanto ao cara, é um manipulador, que também não tem amor próprio, por isso precisa se aproveitar da ingenuidade de outras pessoas. Os semelhantes sempre se atraem.