SEXO 12 de setembro de 2016

Falta de libido

panda-resting-wide-wallpaper-49422-51091-hd-wallpapers

Lá pelos 18/19 anos de idade eu tinha um problema sério com ereção, nunca achava o equilíbrio, ou meu pau não subia ou quando subia a ejaculação acontecia em segundos. Eu chegava a apelar para truques ridículos como masturbar antes de encontrar com uma garota, pensar em unhas encravadas durante o ato sexual para retardar o gozo ou simplesmente parar o amasso no meio e dizer que tinha algo urgente pra fazer.

Só me libertei desse problema quando passei a frequentar uma psicóloga que conseguiu tirar da minha cabeça a castração sexual que tive na minha infância (“Sexo” era tabu em casa). Quando finalmente tirei essa amarra, achei que o céu fosse o limite. E ai, bem esse blog foi criado e leitora da fase anterior pode acompanhar o que o animal fora da jaula aprontava. Sexo pra mim não era mais uma trava e me achava um guru. Porém, a vida sempre encontra uma forma de nos dar uns tapas na cara. E confesso que ultimamente ela tem me dado uma surra.

Nos primeiros meses vivendo na Austrália, ouvi várias histórias de casais (ou homens solteiros) que o sexo era algo raro ou praticamente inexistente na relação. Ao ouvir aquelas histórias, não podia evitar hipóteses como o relacionamento ter ido pro saco, o cara não ser tão a fim de mulher ou estar jantando fora. Na época, com a minha cabeça relativamente em paz, aquilo parecia ser um absurdo. Como uma necessidade “fisiológica” ser negada? E lá foi a vida me dar um sacode.

Passo por vários conflitos diários ao levar uma vida completamente avessa a que eu tinha e por pensar demais no futuro. Família e amigos estão há milhares de quilômetros e comunicadores online (como Facebook, Skype, etc) amenizam a ausência, mas jamais substituem uma conversa presencial; minha vida social restringe-se a conviver boa parte do tempo com pessoas sem muito o que acrescentar; a cultural é praticamente resumida a uma ou outra leitura online; meu trabalho é ordinário e serve apenas para não mexer nas minhas reservas e passar o tempo. Com todo esse colchão maravilhoso para me confortar, minha cabeça não relaxa e vejam só, minha libido parece a de um panda, ou seja, nula.

Esse ponto acendeu a luz vermelha pra mim e junto com vários outros fez com que eu percebesse que a minha vida aqui chegou no limite e é hora de, novamente, mudar de rumo. Em breve conto novidades.

De qualquer forma, vale o recado. Além das histórias ouvi aqui, Já li bastante relato de leitoras questionando o motivo pelo qual o namorado/marido/caso/etc não transa com a mesma frequência (ou praticamente não transa mais). É comum a primeira coisa vir na cabeça que ele não vê mais atração em você e outras hipóteses que já citei. Sim, são possibilidades que as vezes virão fatos, mas muitas vezes o cara simplesmente está com um monte de problema pessoal e por mais que ele goste da pessoa, a cabeça simplesmente bloqueia a libido.

  • Monica

    Dificil em um relacionamento manter o interesse, o homem sempre quer e está pronto e por isso acha que a mulher também :(

  • Lorraine

    Oi cafa,
    Leio seu blog desde a fase “animal fora da jaula”kkk.

    Na minha Interpretação seu texto teve uma relaçao,
    tanto para o sexo quanto para a vida em si.(Se não foi,
    Analfabetismo funcional manda lembranças)Rs.

    Considerando Libido como energia , e seu momento aí na
    Austrália. Gostaria de fazer uma reflexão e Talvez
    te ajudar a ter um estalo ou coisa do tipo.
    (Já que seu blog , me ajudou a ter varios insight)

    A energia é igual água, se ela ficar parada apodrece (Tipo vc aí na Austrália)
    e se tiver num ritmo muito forte inunda (Quando vc Estava em SP).
    Como a chave de tudo está no equilíbrio,
    Saiba o que é preciso para harmonizar os dois polos (o positivo e o negativo) e ter vitalidade na medida certa.

    Vc é Muito Talentoso.
    Mesmo tendo uma Visão diferente da sua leitoras.
    Tua escrita, enriquece a forma de construir/enxerguar nossa realidade.

    Desculpe o textão. Abrç!

    P.s.:“Todos os caminhos levam a Roma”

  • Bruna Oliveira

    Cafa, como é bom ter você novamente!

  • Claudia Moreira

    Nunca imaginei ver esse tipo de texto aqui, sou sua leitora da época “animal fora da jaula … Sexo pra mim não era mais uma trava e me achava um guru”.

    Sempre achei incrível sua escrita, sua análise masculina para tabus e universo feminino; confesso que alguns momentos achava um machista e preconceituoso …. Entretanto usando bom senso percebi que era uma verdade nua e crua sobre visão geral de homem… rs Mas nunca esperei esse tipo de texto de você, afinal você era o cara “guru do sexo” “mito das leitoras”. Enfim está sendo bacana perceber essa nova realidade do homem com novos conflitos e historias!

  • Catherine

    Tão consolador ler isso… Eu percebi que a minha, que era absurda, foi caindo gradualmente depois que me formei e comecei a trabalhar demais e ter que lidar com mais responsabilidades, fora as frustrações de relacionamentos. Cogitei ser a pílula, parei e foi ainda mais frustrante ver que não era. Tive uns momentos de alta ao longo dos últimos anos, mas nunca como antes. Ultimamente me espanto de pelo menos sozinha ter algum prazer, porque desde o final de 2016 minha vida desabou; problemas financeiros depois de ficar desempregada e estar tentando seguir como autônoma, suicídio da minha irmã, briga pela guarda da minha sobrinha, relacionamento difícil com minha mãe em casa… Tanta coisa que realmente é pra acabar com a libido de um ser humano. Acho que o pouco que voltou foi por ao menos não estar mais no trabalho que me fazia sentir presa e já não me servia mais e de certa forma estar descansando, embora o ócio seja algo preocupante (às vezes a gente nem percebe o quando um trabalho nos desgasta, porque ele também tem seus prós).
    Estou indo à terapia, não especificamente por isso, até estou sendo compreensiva comigo mesma nesse sentido, mas espero que melhore. Meu sonho minha libido voltar ao normal.
    Fui leitora na sua fase “animal na jaula”, depois o blog sumiu, teve a fase dos outros cafas escrevendo (eram muito chatos comparados a vc, nem sei se eles ainda existem por aqui) e fico feliz de te ver por aqui de novo. Nem sei bem como vim parar aqui hoje e descobri que o blog está ativo. Fico feliz por isso. Que 2018 seja auspicioso! um beijo!