RELACIONAMENTO 24 de abril de 2017

Relacionamentos imperfeitos

635811670060053761-2079781530_Screen Shot 2015-10-22 at 8.59.20 PM (2)

Antes de tudo, desculpem pela demora em postar. Meus pais vieram me visitar aqui em Barcelona e isso somado à minha rotina de trabalho maluca, não tive tempo para escrever.

A vinda deles trouxe uma explosão de sentimentos, que só décadas de convívio podem explicar. Por muito tempo tive uma relação complicada com meu pai e um endeusamento da minha mãe, uma dinâmica que me trouxe alguns problemas existenciais que só com terapia pude resolver. Porém , o passado não vem ao caso e sim a reflexão que o relacionamento deles me trás.

Já disse aqui uma vez, meu pai não teve muita oportunidade quando pequeno, nasceu em um família sem muito recurso e educação , teve que ralar horrores pra ter uma vida confortável. Minha mãe também não nasceu em berço de ouro, mas junto com meu pai, construiu uma relação e história admiráveis. Não pela perfeição, pois os dois foram (e são)  bastante imperfeitos, mas na forma como driblaram as dificuldades e souberam crescer dentro das suas limitações. Por vezes me perguntei como eles ainda estavam juntos, mas na imperfeição deles, eles se entendem.

Isso me faz refletir sobre meus antigos relacionamentos e o que eu esperava deles. É óbvio, nunca nivelamos por baixo e aceitamos o pior das pessoas. Sempre queremos alguém com a melhor das qualidades e aquilo que é ruim (no nosso ponto de vista) tentamos arrumar. Eu cansei de desejar uma boneca perfeita e o que ganhava era uma relação superficial e cheia de aparências.

As vezes olhamos pro lado e pensamos “humm, talvez aquele cara seja mais interessante que meu namorado”, mas ele também terá seus defeitos. O que eu considero o mais importante aqui é o conjunto da obra, foda-se se ele gosta de jogar videogame ou que ela não lava a porra de uma louça. Um relacionamento é construído no cuidado com o outro,  assisti-lo na dificuldade, pensar em dois, não usar relacionamento como muleta, mas uma escada.  Na minha opinião, na vida precisamos chegar em um lugar melhor, não sobreviver.

Voltando aos meus pais, eles chegaram a se separar depois de velho. Tiveram as suas aventuras nesse período e depois reataram. Contando isso as pessoas falam “ai que fofos, eles são um casal perfeito”. Não são.  Brigam, discutem pra cacete e falam um mal do outro. Só que no final do dia, eles se importam um com o outro.

Quando eles estavam no começo do namoro, meu pai deu um chaveiro pra minha mãe com a seguinte frase “Con tus defectos te quiero, sin tus defectos te extraño” (que seria “com seus defeitos te amo, sem eles tenho saudade”). Acho que ela define bem o que devíamos esperar de um relacionamento saudável, não perfeito.

  • Renatha

    Eu sempre tive uma relação complicada com meu pai e precisei de ajuda profissional pra saber lidar com essa situação. Construí um verdadeiro bloqueio por relacionamentos, segundo minha psicóloga, justamente pela relação conturbada com meu genitor. Já tive alguns namoros duradouros, mas tenho extrema dificuldade em “manter” o tesão pela mesma pessoa por muito tempo. Espero, de verdade, conseguir um dia me entender…

    • Débora Cardoso

      tenho esse mesmo problema, acho que por isso meus relacionamentos não dão certo :(

  • Tatiane Moura

    Gostei não existem pessoas perfeitas 😍

  • Sagitariana

    Maravilhoso o texto, você arrasa. Eu penso exatamente assim, não quero perfeição, quero amor e sinceridade.

  • Bia

    Cafa,
    como antiga leitora, assumo que é muito legal acompanhar seu amadurecimento. Isso reflete em seus textos.
    Sou “cria” de um casamento bem sucedido – lá se vão 40 anos de relacionamento – e confesso procurar em um homem as qualidades do meu pai.
    Os tempos mudaram, os homens não estão mais cavalheiros e poucos admiram os quesitos que meu pai viu em minha mãe, por exemplo.
    Acho cada vez mais que os relacionamentos hoje em dia estão tendendo à futilidade.
    Bjs! Adoro vc!

  • Cacau

    Saudades das suas postagens, cafa! Olha o e-mail, mandei várias histórias que gostaria que vc publicasse. Ah, adoro quando vc faz posta sobre relacionamentos longos e não sobre casos, romances passageiros ou ficas. Beijo!!

  • joyce messa

    Nossa, que bonito isso, Cafa. Mas sabemos que no dia-a-dia é difícil passar por cima dos defeitos do companheiro, ou dosar até que ponto o defeito é aceitável. Pra vc, Cafa. O que é inaceitável num relacionamento? Não tô falando de traição (o que pra galera do relacionamento aberto pode até ser ok). Digo coisas mais normais, tipo sexo não muito bom, desorganização, má relação com seu amigos e família.. sei lá.. o que vc consegue levar por muito tempo???

    • http://www.manualdocafajeste.com cafa

      A acomodação pra mim é inaceitável.

      • joyce messa

        Mas em que sentido?! Da pessoa parar de se arrumar pra vc? Ou não fazer mais surpresinhas? Ou sexualmente falando?

  • Kamila

    Ainda fico admira

  • Ka

    Fico admirada por ainda existirem pessoas que buscam a perfeição em um relacionamento.
    É como vi um dia desses em um filme antigo que não recordo o nome agora: “O amor consegue ser perfeito em sua imperfeição”.
    Espero que esteja tudo bem por aí, Cafa.
    Um grande abraço de uma leitora antiga.

  • Tai

    Cafa, gostei da forma que você abordou o assunto, usando o exemplos de pessoas tão influentes na sua vida. Se observarmos bem somos quase um reflexo dessas pessoas e normalmente nas que mais detestamos encontramos muitas semelhanças. Às vezes só gostaria que seus textos fossem mais longos, porque sempre que eu tô querendo saber mais, acaba. Hehe
    Ah, só uma correção boba, ali no segundo parágrafo na frase “Porém , o passado não vem ao caso e sim a reflexão que o relacionamento deles me trás.”, esse “trás” acho que seria “traz” do verbo trazer, não é? É que “trás” é advérbio de lugar, “banco de trás”, “olhar para trás”.
    Enfim, adorei o texto e ainda fico no aguardo pra um possível livro seu ou mais textos. Você manda muito bem!
    Beijos

  • Bruna Pereira

    Sempre bom vir aqui e ter notícias suas.
    Beijos, querido.