RELACIONAMENTO 25 de setembro de 2017

Vale a pena ler de novo – Sexta das leitoras – Baixar o nível ou ficar na seca?

emptypool-56a75c825f9b58b7d0e98bfb

Sei que estou em falta com vocês, mas nunca pensei que editar um livro fosse tão trabalhoso. Apesar de me divertir com as histórias antigas, leva tempo para reler, revisar e categorizar. Porém, acho que o resultado compensará, são quase 300 páginas de textos sobre sexo, histórias masculinas, dicas, histórias femininas comentadas, namoro, términos, etc.

Para compensar a ausência, publicarei uma “‘Sexta” das leitoras de 2010, que relendo hoje não mudo uma vírgula do que comentei. Vamos lá:

A leitora Edileuza me procurou angustiada, pois não sabia o que fazer (como 90% das mulheres que me procuram) com a escassez de homem interessante.

Ela é o típico caso de mulher que começa a ficar na seca e põe em xeque se não está sendo exigente demais ou chata.

“Eu sou uma curva de rio! Meu primeiro namorado dizia me amar, mas gostava de sair sozinho para “paquerar” (!?), do tipo “eu não presto mas eu te amo”.

Cafa > Não. Ele não te amava e me admira você ter um relacionamento com alguém com essa mentalidade. Na primeira já era pra botar o cara pra rodar.

Em seguida conheci uma cara  legal, inteligente, bem vivido e tals, mas ele morava em outra cidade e porque tinha um nível social altíssimo já viu, né? Claro que não deu certo! Ele até tentou me fazer de lanchinho, mas não cai na dele. Resolvi desencanar e ficar sossegada.

Cafa > Não entendi a relação do dinheiro e não dar certo. A pessoa ter muito dinheiro é ruim? Apenas se ela for uma ameba. Agora se ele te tratava como mais uma e não queria namoro, ai sim você fez certo em sair fora.

Desde então eu conheço alguém que parece ser legal, começamos a namorar,mas ai vejo que o cara não tem nada a ver! Ou o camarada fala “para mim fazer” e “estou brincano” e coisas do tipo e/ou quer casar daqui dois meses e ter filhos. Se não é isso acabo saindo com umas tranqueiras nada a ver que, ou usam drogas, ou bebem horrores…

Cafa > Nossa, quanto extremo. Em que boca de lixo você está saindo? 

Enfim, não consigo encontrar ninguém legal. Até já encontrei um cara bem legal, mas ele disse que a química não rolou apesar de ter ficado um bom tempo me perturbando querendo namorar…Não tenho nenhuma dificuldade para arrumar alguém, mas justamente o cara que eu escolho é uma tranqueira ou se o cara é legal “não rola química”. E tem mais: não consigo me apaixonar por mais ninguém! Não tenho mais paciência, mas ao mesmo tempo quero ter alguém. Por que será que eu arrumo caras tão diferentes? Será que estou  (sempre estive) em crise? hahaha. Beijos e obrigada!”

Cafa > A gente vê casais por ai aos montes, pessoas que terminam um namoro e já encaixam em outro, namoros começando com uma semana de relacionamento…enfim, parece que é muito fácil encontrar uma pessoa bacana e que o problema está em nós. E ai costumamos a nos perguntar, “será que estou fazendo algo errado?” “Será que estou sendo muito exigente?”.

De fato algumas vezes o problema é com a gente que não percebe que não existem pessoas perfeitas e completamente moldadas de acordo com os nossos gostos e vontades. Porém, o principal problema aqui (que na verdade não é problema) é que investimos demais em nós mesmo. Veja você (a leitora me contou seu histórico), foi estudar fora, deve falar várias línguas, ter um emprego bacana, fez mestrado, é bonita, blábláblá. E ai consequentemente o seu nível de exigência aumenta. Você sabe do valor que tem e um cara que fala errado é simplesmente inaceitável. Aquele que te trata como uma qualquer e vai pegar maloqueira na balada que mal tem fluência no português, também não merece você.

Enfim, filtros vão sendo criados e ai o número de homens que te agrada reduz drasticamente. E qual a solução? Baixar o seu nível para não ficar sozinha ou continuar buscando alguém bacana? Eu sugiro a segunda opção. Você não nasceu incompleta, não precisa de alguém que te complete e sim que some.

________________________________________________________________________________________

Quer mandar a sua história para que eu (talvez) comente e publique? É só enviar para cafa@manualdocafajeste.com; Caso queira manter o sigilo e ter certeza que sua história será comentada contrate o Cafa Responde (máx de 2 páginas / arial 12).